Borso del Grappa - Itália

Borso del Grappa - Itália
Borso del Grappa - Itália

Partida da Itália



A Família Bergamo na época era constituída por dez pessoas: Sante Bergamo, esposa: Luigia Serena, filhos: Domenico, Pellegrino e Pasqua ficaram na Itália, os demais Giovanni, Bortolo, Benjamin, Pelegrina e Santa partem para o novo mundo a milhares de quilômetros de sua pátria em busca de uma nova vida, levando na bagagem todas  esperanças que norteiam os aventureiros. Atraídos pelos boatos que surgira a possibilidade de se enriquecerem em outras paragens, não titubearam, juntaram seus poucos pertences e ingressaram nas intermináveis filas de interessados em participar das grandes viagens que lhes eram proporcionadas. Naquela época era muito comum ver italianos pelas ruas das pequenas comunidades gritando “Viva Mérica” Muitos fazendeiros residentes no Brasil tinham parentes na Europa, em maior número principalmente na Itália. E aqueles se propunham a conseguir mão de obra para trabalhar no Brasil. Devido à dificuldade de subsistência na Itália e as terras carentes de mão de obra no Brasil, culminaram com a saída daquele país que ocorrera no mês de outubro do ano de 1888, Giovanni Bérgamo contava então com 19 anos de idade, era o quarto dos oito irmãos.    

Muitos imigrantes tiveram sua viagem subsidiada pelo Governo do Estado de São Paulo. Vinham embarcados em terceira classe, localizada nos porões dos navios, quase sempre superlotados. O grande número de passageiros e as péssimas condições sanitárias favoreciam a proliferação de doenças contagiosas, pois os porões eram escuros, úmidos e muito pouco ventilados. Ocorriam nascimentos e mortes durante a viagem. Como a viagem era longa, eram organizadas muitas festas e brincadeiras que distraiam os viajantes durante o percurso. A chegada ao porto de Santos sempre era um alívio aos passageiros após tantos dias no mar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário